Vale a pena fazer um intercâmbio depois dos 30? Veja aqui!

6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Quando ouvimos a palavra “intercâmbio”, associamos essa experiência a jovens de 15 a 25 anos, que ainda estão na escola ou são universitários. De fato, esse é o público que lidera a busca por viagens de estudos ao exterior; porém, cada vez mais pessoas optam por fazer intercâmbio depois dos 30 anos.

Se você também está decidido a encarar sua experiência internacional com essa idade, confira neste conteúdo por que vale a pena, sim, viver esse sonho depois de adulto!

Tendência entre a geração

Em 2016, segundo levantamento feito pela Brazilian Educational & Language Travel Association (Belta), os intercambistas com mais de 30 anos representaram 23,8% dos brasileiros que viajaram ao exterior para estudar. Isso significa que a faixa etária entre 30 e 39 anos foi a segunda que mais buscou fazer intercâmbio.

Essa tendência de viajar depois dos 30 faz com que escolas e universidades no exterior ofereçam cada vez mais facilidades aos estudantes que querem aprender outras línguas — dentre as quais se destaca o inglês — ou fazer uma pós-graduação (a busca por MBA é alta, visto que essa faixa etária geralmente já tem graduação completa).

Bancando a viagem

Um fato inquestionável que faz crescer o intercâmbio entre os adultos é o fato de, aos 30 anos, ser mais fácil bancar, por conta própria, essa experiência. É provável que você não tenha tido a oportunidade de fazer essa viagem na adolescência por conta do investimento necessário.

Nem sempre a família tem como pagar um intercâmbio e o próprio jovem, sendo estudante, não tem renda. Porém, ao atingir os 30 anos, você provavelmente já trabalha há algum tempo e consegue juntar, com mais segurança, o dinheiro para finalmente pagar seus estudos fora do país.

Trabalhando enquanto vive fora

Outro ponto que tem feito os adultos perderem o medo de viajar ao exterior para estudar é a possibilidade de seguir trabalhando mesmo enquanto vive em outro país. Basicamente, são duas as saídas que quem tem mais de 30 encontra para manter-se ativo durante o intercâmbio:

Trabalhar de forma remota

Com a tecnologia mais do que consolidada em nossas vidas, muitas empresas viabilizam sistemas para trabalho remoto. Se você está empregado no momento e não quer abrir mão da sua vaga, converse com seus superiores sobre a possibilidade de trabalhar à distância durante o tempo que ficar ausente do país.

O trabalho remoto também é excelente opção para quem segue carreira como freelancer ou autônomo — especialmente para quem atua em áreas como TI, design, tutoria educativa e outras nas quais, com computador e internet, você consegue realizar suas tarefas, independentemente do lugar do mundo onde esteja.

Trabalhar no destino do intercâmbio

Muitos países procurados para intercâmbio oferecem a possibilidade de os estudantes trabalharem por algumas horas. Isso é extremamente atrativo se você já tem mais de 30, idade com a qual a independência financeira já faz parte da sua vida.

Assim, escolher um destino em que seja possível trabalhar e estudar, como Austrália, Canadá, Irlanda ou Nova Zelândia, é outra forma viável de manter sua renda e, de quebra, ganhar experiência válida para colocar no currículo.

Viajando em família

Além do trabalho, outra preocupação de quem já tem 30 anos ou mais é como conciliar o intercâmbio com a família. Nessa faixa etária, muitos brasileiros já estão casados e com filhos pequenos, e ficar longe deles não é opção.

Se essa for sua situação, saiba que, em muitos destinos, sua família (cônjuge e filhos) poderá acompanhá-lo sem problemas. Assim sendo, vale a pena pesquisar as exigências de cada local quanto a isso. Uma alternativa é fazer cursos de curta duração (intensivos de 2 a 4 semanas, por exemplo) ou marcar seu intercâmbio para época de férias, para que a família esteja livre para viajar junto com você.

Contato Agências Intercâmbio WEST 1Powered by Rock Convert

Vantagens de fazer intercâmbio depois dos 30

Como você viu até aqui, o intercâmbio é uma realidade plenamente possível também para os adultos. Além de conseguir adaptar esse plano à vida que você já construiu, o intercâmbio trará muitos benefícios pessoais e profissionais. Confira alguns deles:

Maturidade e foco

Viver essa experiência internacional aos 30 anos significa conseguir planejá-la e desfrutá-la com maturidade e foco. Enquanto adolescentes, estamos mais preocupados com a diversão; adultos, temos mais discernimento para investir nosso tempo naquilo que nos possa gerar bons frutos no futuro, como uma experiência de trabalho, construir networking e entender melhor a cultura e hábitos do local que visitamos.

Chances reais de progredir na carreira

É entre os 30 e 40 anos que muitas pessoas conseguem consolidar-se profissionalmente e conquistar postos de mais responsabilidade nas empresas. Se você investe em um intercâmbio para aprender um idioma ou progredir seu nível acadêmico, suas chances de ser promovido ou de encontrar um trabalho melhor aumentam.

Cursos personalizados a essa faixa etária

Como já mencionado, muitas escolas e universidades estão atentas ao fato de que pessoas com mais de 30 anos viajam cada vez mais para estudar. Assim, ao fazer seu intercâmbio com essa idade, você poderá encontrar programas personalizados.

Eles são voltados a temáticas de interesse profissional (por exemplo: inglês aplicado aos negócios ou à tecnologia), têm metodologias intensivas e mais rápidas e os grupos contam com pessoas da sua idade, que estão tão empenhadas quanto você a desenvolver habilidades em outra língua ou em certa área de atuação.

Recomeço profissional

Aos 30 anos, muita gente se dá conta de que as decisões acadêmicas e profissionais tomadas não foram adequadas. Com isso, pode bater uma certa crise e vontade de redesenhar sua trajetória de vida.

O intercâmbio entra nesse cenário como uma chance de investir em uma experiência que vai forçá-lo a sair da sua zona de conforto e a vivenciar outras possibilidades de trabalho e estudos. Assim, pode ser um excelente momento para repensar suas decisões e encontrar um novo caminho.

Fazer intercâmbio depois dos 30 é uma excelente ideia, e esperamos que este post tenha sido prova disso! Você precisa de mais ajuda para conseguir realizar sua viagem de estudos ao exterior? Então confira o e-book gratuito que preparamos sobre Como Planejar o Intercâmbio Perfeito.​​​ Ou confere abaixo a história incrível da Sandra que decidiu fazer um intercâmbio depois dos 60 anos!

Gostou do video? Então acredito que você também irá gostar desse bate papo que rolou ao vivo sobre o assunto:

 

[contact-form-7 id=”297″ title=”Receba as novidades do blog”]

Você também pode gostar

Deixe um comentário